Frete grátis para todo o Brasil a partir de 99 reais.

Parcele em até 6x Sem Juros. Parcela mínima de 99 reais.

    • Notas Mistral

      Vinhedos pelo Mundo

      Bolgheri e Etna: as duas regiões italianas mais comentadas do momento

      Os vinhos italianos sempre estiveram sob os holofotes de enófilos e da crítica especializada.

      Bolgheri e Etna: as duas regiões italianas mais comentadas do momento

      Os vinhos italianos sempre estiveram sob os holofotes de enófilos e da crítica especializada. Afinal, a Itália é um país de alma vinícola e dona de uma cultura milenar dedica à bebida de Baco. Mas, muito além das tradição, a Itália ainda reserva ótimas surpresas em pleno século 21. A região do vulcão Etna, na Sicília, e Bolgheri, nos limites costeiros da Toscana, as fronteiras vinícolas italianas mas comentadas do momento.

      Os solos vulcânicos nos sopés do vulcão ativo mais alto da Europa têm demonstrado uma surpreendente aptidão para vinhos de classe mundial. A prova disso ficou estampada no ranking mais recente dos melhores vinhos do mundo da revista Wine Spectator. O San Lorenzo 2016, um ‘grand cru’ de apenas 4 hectares elaborado por Tenuta delle Terre Nere, conquistou o nono lugar entre os Top 100 de 2018. Essa excelente colocação confirma que os esforços de Marco De Grazia, o proprietário da vinícula, geraram frutos preciosos.

      De Grazia, que nasceu nos Estados Unidos e chegou na Sicília nos anos 2000, tem trabalhado diligentemente na recuperação dos vinhedos da região, que depois da Segunda Guerra Mundial foram praticamente abandonados. Monica Larner, que degusta os vinhos italianos para Robert Parker, já havia enfatizado em meados de 2017 o papel decisivo dos vinhos de Marco De Grazia na guinada em direção à evolução da qualidade e da imagem dos vinhos sicilianos produzidos na região do Etna com as uvas Nerello Mascalese e Nerello Cappuccio.

      Na ocasião, ela degustou alguns tintos de vinhedo único da vinícola, referindo-se a eles como sendo um “divisor de água para os vinhos do temível vulcão”. Ela também avaliou com os mesmos 95 pontos da Wine Spectator o San Lorenzo 2016. É de fato um tinto absolutamente singular. As uvas de vinhas com mais de 70 anos de idade estão plantadas a uma elevação de 750 metros em solos quase que puramente de areia vulcânica.

      Bolgheri também tem dado o que falar com seus vinhos de inspiração bordalesa. Essa parte da Toscana é belíssima. De um lado está o mar Mediterrâneo, do outro os famosos ciprestes que margeiam a estrada, plantados em meados do século 17. Esse terroir privilegiado foi explorado pela primeira vez há 50 anos. Naquela época foi produzido o Sassicaia. De lá para cá Bolgheri tem atraído uma constelação de renomados produtores. O sucesso do primeiro supertoscano inspirou Angelo Gaja, que na década de 1990 adquiriu Ca’Marcanda, onde  produz deliciosos supertoscanos como o Ca’Marcanda, um corte bem bordalês e potente de Merlot, Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc, avaliado por mais de uma vez com excelentes 95 pontos da Wine Spectator e também de Parker.

      O Messorio, de Le Macchiole é um fantástico Merlot, avaliado com 98 pontos pela Wine Advocate na safra 2013; e o Bolgheri Superiore, de Grattamacco, um maravilhoso blend de Cabernet Sauvignon, Merlot e Sangiovese. São verdadeiras joias que a crítica internacional compara a outros grandes vinhos não apenas de outras partes da Toscana e da Itália, como também de Bordeaux e Napa. Vale a penas descobri-los!

      Materias relacionadas