Portugieser

A uva Portugieser, como o próprio nome sugere, é nativa de Portugal, mas atualmente, quase não se encontram vinhas dessa variedade cultivadas em regiões da Península Ibérica. O cultivo da Portugieser ocorre, principalmente, na Europa Central e Oriental, em países como a Áustria, Alemanha, Eslovênia, Croácia, Romênia e Hungria.

Com cachos de tamanho médio e compactos, a uva Portugieser possui bagos ovais e escuros, que apresentam uma coloração quase azulada. Por conta disso, essa variedade é conhecida também como uva Blauer Portugieser, ou seja, “blauer” em alemão significa “azul”.

A Portugieser apresenta ainda um alto rendimento e necessita de atenção e alguns cuidados durante seu cultivo, a fim de produzir exemplares de alta qualidade.

Os vinhos tintos ou rosés elaborados a partir dessa variedade de uva são leves e com baixa acidez, indicando que devem ser bebidos ainda jovens e não são tão adequados para o envelhecimento. Em boas safras da uva Portugieser, com rígidas restrições sobre a produtividade da vinha e a utilização de barris de carvalho para o amadurecimento, os vinhos elaborados com a Portugieser tornam-se exemplares mais fortes e complexos.

Na Áustria, a Portugieser encontra-se entre as 13 uvas tintas autorizadas para a produção de vinhos da mais alta qualidade. A variedade também é cultivada em algumas regiões vinícolas mais conhecidas da Alemanha, como Pfalz e Rheinhessen.

Em regiões da Hungria, a uva Portugieser é cultivada com maior frequência em Villany e é conhecida por ser uma das castas autorizadas para a produção dos exemplares Egri Bikavér – os lendários vinhos “Bulls Blood”. Encontra-se também a uva Portugieser em vinhedos da França, utilizada em pequenas proporções para a elaboração dos vinhos tintos de Gaillac.

A uva Portugieser é conhecida também em algumas áreas vinícolas como: Modry Portugal, Portugizac Plavi, Portugais Bleu, Voslauer e Kekoporto.