Ruché

A uva Ruché é uma variedade tinta amplamente cultivada na região italiana do Piemonte, dando origem a bons vinhos. Antigamente, a Ruché era uma casta que recebia pouca notoriedade perante o mundo do vinho, no entanto, tal cenário sofreu drásticas mudanças quando a variedade de pele escura ganhou sua própria denominação de origem – Ruche di Castagnole Monteferrato.


A denominação foi elevada como DOCG (Denominação de Origem Controlada e Garantida) apenas em 2011 e suas origens ainda são assunto de conflito entre especialistas e historiadores. Enquanto uns afirmam que se trata de uma uva indígena, outros afirmam que a origem da Ruché é proveniente da região da Borgonha.


Os vinhos elaborados a partir da uva Ruché são caracterizados pela coloração leve e aromas complexos, associados, às vezes, com os vinhos Nebbiolo produzidos na região do Piemonte. Além disso, os vinhos Ruché apresentam finos e notáveis taninos, bem como boa acidez responsável por estimular o paladar.


Apesar de ser utilizada frequentemente na elaboração de vinhos varietais, a uva Ruché participa também da composição de excelentes blends, ao lado das uvas Barbera e Brachetto, permitida sob as regulamentações que as demais uvas apareçam em até 10% dos exemplares.


No início do século XXI, encontrava-se apenas 50 hectares cultivados dessa variedade, tornando os vinhos Ruché um dos exemplares mais exclusivos produzidos sob qualquer denominação italiana, desde DOC até regiões demarcadas como DOCG. Após ter sua denominação de origem elevada para o título DOCG, essa variedade recebeu ampla notoriedade perante o mundo do vinho, fazendo com que sua popularidade aumentasse consideravelmente.


Ruche di Castagnole Monteferrato é uma das mais recentes denominações de Piemonte, que abrange sete municípios da província de Asti. A maior parte dos terrenos onde as vinhas são cultivadas encontram-se em entre 600 e 700 metros acima do nível do mar, proporcionando que as uvas concentrem melhores seus aromas e sabores.