Schonburger

Utilizada amplamente na produção de bons vinhos no sul da Inglaterra, a Schonburger trata-se de um cruzamento entre as uvas Pinot Noir e Pirovano 1 (que já é proveniente do cruzamento da Chasselas Rosé e da Muscat Hamburg).

A uva Schonburger é uma variedade de origem alemã desenvolvida e cultivada pela primeira vez no ano de 1979 pela Geisenheim Institute for Grape Breedind in Germany. Desde então, vem sendo usada na elaboração de vinhos claros, com aromas delicados e florais, que apresentam, normalmente, toques residuais de doçura.

A Schonburger, como a maior parte das castas de uvas da Alemanha, foi criada para fornecer aos produtores e enólogos uma variedade resistente a doenças e às baixas temperaturas do país. Como resultado, a Schonburger foi trabalhada geneticamente para apresentar uma pele mais grossa e baixos níveis de acidez – qualidades extremamente apreciadas em regiões vinícolas frias, onde é bastante utilizada até hoje.

Na Inglaterra, a uva Schonburger é empregada com frequência na elaboração de bons vinhos e espumantes, estes elaborados a partir do método tradicional Champenoise, o mesmo utilizado na produção dos tradicionais vinhos Champagne. Nesse método, a produção do gás carbônico acontece através da transformação do açúcar em álcool, causada pelas leveduras que são adicionadas para a segunda fermentação dentro da própria garrafa.

Normalmente, os vinhos espumantes Schonburger são exemplares mais leves e suaves do que os rótulos elaborados com variedades mais tradicionais, como as uvas Pinot Noir e Chardonnay. Também são mais frutados e com aromas vegetais e minerais um pouco mais acentuados.

Já em regiões vinícolas da Alemanha, a uva Schonburger é cultivada em maiores quantidades em Rheinhessen, e dá origem a vinhos brancos leves, onde são, na maioria das vezes, vinificados em estilo meio seco. Além disso, é possível encontrar pequenas quantidades da Schonbuger plantadas no Canadá e na ilha australiana da Tasmânia.