Coda di Volpe

A uva Coda di Volpe é utilizada na elaboração de vinhos brancos de corpo médio ou encorpado, desde os tempos antigos na região de Campania, na Itália. O nome “Coda di Volpe”, em italiano, significa “rabo de raposa”, referência aos longos cachos que a variedade apresenta, além disso, as uvas são pequenas e possuem pele espessa.

Com essa variedade são produzidos os famosos vinhos Irpinia e Sannio, além dos blends Solopaca e Vesuvio. Os aromas encontrados comumente na uva Coda di Volpe remetem a frutas cítricas e tropicais, e têm um leve sabor doce apimentado. Essa variedade é conhecida também como Coda di Peccora, Pallegrello Bianco, Durante, Falerno e Alopecis em outras regiões vinícolas.

A uva Coda di Volpe não possui alto teor de acidez e, em razão disso, torna-se apta a ser cultivada nos solos vulcânicos do Monte Vesúvio, onde atinge seu ápice qualitativo. É comum que esse tipo de solo transmita notável acidez às uvas, o que tem sido amplamente explorado pelas vinícolas da Alsácia.

De origem romana, a uva Coda di Volpe era utilizada tradicionalmente na produção de vinhos de corte, ao lado de outras variedades italianas. Entretanto, a partir dos anos 1970, diversos enólogos têm explorado o excelente potencial dessa uva, dando origem a vinhos varietais de alta qualidade. Graças ao amplo potencial explorado, a uva italiana adquiriu notável importância na elaboração de alguns dos melhores vinhos italianos.

Os vinhos produzidos a partir da Coda di Volpe possuem coloração semelhante ao tom da uva, ou seja, amarelado com um suave toque de dourado. Além disso, a variedade apresenta uma boa produtividade, não sendo altamente vigorosa, no entanto, muito apreciada por diversos enólogos e produtores.

Com aromas delicados, os vinhos elaborados com a uva Coda di Volpe possuem notas de frutas cítricas e sabor adocicado. Tais exemplares possuem ainda textura macia e fresca, permitindo que o vinho seja apreciado com aperitivos feitos de frutos do mar, por exemplo.