Graciano

A uva Graciano é típica de Rioja, considerada por muitos a melhor uva da região, acima até mesmo da Tempranillo, variedade mais cultivada em toda a Espanha. A casta Graciano é conhecida também por outros nomes, como Tinta Miúda e Morrastel.

Cultivada amplamente na Espanha, principalmente em Rioja e Navarra, a uva Graciano é encontrada também em regiões da França, em Languedoc-Roussillon, na Argentina, nos Estados Unidos e na Austrália. Em Languedoc-Roussillon a variedade recebeu notório destaque durante o século XIX, contribuindo para aumentar o prestígio da região perante o mundo do vinho.

Considerada uma uva de difícil plantio e propensa a doenças, os rendimentos da Graciano apresentam números pequenos. O período de amadurecimento dessa variedade é alto, fazendo com que a uva não se adapte em regiões com climas frios. No entanto, tal demora é responsável também por adicionar maior complexidade de sabores e aromas e somente uvas completamente maduras garantem sua plena expressão.

O crescente interesse por uvas autóctones tem feito a Graciano ser reconhecida e conquistar cada vez mais atenção e espaço. Fazendo parte, tradicionalmente, de vinhos de corte produzidos em Rioja, adicionando-os cor e aromas, a uva Graciano tem sido utilizada cada vez mais na produção de vinhos varietais.

Os vinhos produzidos a partir da uva Graciano costumam ser ricos em acidez e, às vezes, bastante tânicos, tornando-se aptos a envelhecer com excelente qualidade. O clássico vinho Graciano é moderadamente tânico, com coloração profunda e rico em aromas. Em Rioja, onde a maior parte dos vinhos tintos são envelhecidos em barris de carvalho, estas notas tornam-se ainda mais aromáticas, complementadas por baunilha e especiarias doces – as marcas dos vinhos tintos envelhecidos em madeira.

Durante o século XX, muito produtores da região de Rioja substituíram as vinhas da uva Graciano por uvas internacionais, consideradas como “uvas mais elegantes”, entre elas encontram-se as castas Tempranillo e Cabernet Sauvignon.

Felizmente, a uva Graciano vem recebendo notória importância nos dias de hoje e elabora alguns dos melhores vinhos espanhóis, capazes de agradar a paladares de inúmeros críticos, especialistas e amantes do mundo do vinho.