Loureiro

A uva Loureiro é uma variedade branca amplamente cultivada no norte de Portugal, famosa por fazer parte na composição do tradicional Vinho Verde, elaborado na região do Minho. Além disso, a Loureiro também é cultivada em pequenas quantidades na Galícia, comunidade autônoma espanhola, ao noroeste da península ibérica.

Originária do Vale do rio Lima, a uva Loureiro é uma variedade extremamente fértil e com rendimentos generosos e que, apenas recentemente, assumiu o papel de uma casta nobre. As vinhas da Loureiro possuem cachos compridos e compactados, com bagos de tamanho médio e coloração amarelo esverdeada.

Em regiões espanholas, essa variedade é conhecida também como Loureira, dando origem a excelentes vinhos brancos em Rías Baijas e, muitas vezes, sendo misturada com a casta mais tradicional e emblemática do país, a uva Albariño.

O nome Loureiro vem de “louros” que, no dialeto espanhol, é como eram chamadas às folhas da vinha por causa do seu perfume muito característico. Além das folhas, a flor da uva Loureiro tem também qualidades aromáticas marcantes por conta da sua personalidade floral, com ênfase nos aromas de flor de acácia, tília e laranjeira.

Os vinhos produzidos a partir da uva Loureiro apresentam excelentes aromas, notável acidez e baixos índices alcoólicos, visto que os varietais estão se tornando cada vez mais populares no entre consumidores e críticos. No entanto, os famosos Vinhos Verdes, sempre foram historicamente elaborados com as uvas Trajadura e Arinto – conhecida também como Perdenã na região do Minho.

Os Vinhos Verdes podem ser produzidos nos estilos rosé, tinto, branco ou, até mesmo, espumante. Trata-se de um dos mais tradicionais vinhos espanhóis e o seu nome não faz referência a coloração da bebida e sim, do estilo leve e fresco do vinho, bem como o caráter jovem que apresenta.

Esses vinhos são produzidos a partir de uvas colhidas na data exata em que atingem o ponto de equilíbrio entre os açúcares, taninos, compostos aromáticos e matérias corantes, bem como no correto período em que os bagos atingem o peso máximo, fatores que caracterizam os Vinhos Verdes e os tornam exemplares únicos, refrescantes e marcantes.