Pineau D’Aunis

A uva tinta Pineau d’Aunis é uma variedade antiga, cuja história teve início na Idade Média, no tradicional Vale do Loire. Apesar de possui ampla notoriedade perante o mundo do vinho, o cultivo da Pineau d’Anis está cada vez mais raro, limitado apenas para a elaboração de vinhos tintos e rosés no Loire.

Essa uva recebe amplo prestígio pelo tempero levemente picante que adiciona aos vinhos rosados da região, ao lado das castas Carignan e Tibouren – variedades que também são utilizadas na elaboração de vinhos com o mesmo estilo. Quando as vinhas da Pineau d’Anis são cultivadas em temperaturas mais quentes, semelhante ao clima encontrado em Provence, é capaz de produzir vinhos tintos interessantes e distintos.

A Pineau d’Aunis é utilizada na produção dos vinhos Anjou e Saumur, tanto para dar origem a vinhos tintos secos quanto na elaboração de bons espumantes – brancos e rosés. A denominação Saumur-Champigny também utiliza a variedade em quantidades limitadas, ou seja, apenas 30% da uva Pineau d’Aunis pode ser adicionada aos exemplares, caso contrário, o vinho é rotulado como Cabernet Franc.

Além disso, os vinhos produzidos em Cheverny, Coteaux du Loir e de Coteaux du Vendomois utilizam a uva Pineau d’Aunis na composição de blends ao lado das castas Cabernet Franc, Gamay, Pinot Noir, Malbec, Cabernet Sauvignon e Grolleau – casta tradicional do Vale do Loire que, atualmente, encontra-se em declínio.

A Pineau d’Aunis é conhecida ao redor do globo por diversos nomes, tais como Plant de Mayet e Aunis. Outras vinhas cultivadas do outro lado do oceano Atlântico e na Califórnia, foram apelidadas de Chenin Noir.

Ocorrem algumas confusões com a uva branca Pineau de la Loire, conhecida também como Chenin Blanc. A uva Pineau d’Aunis recebeu esse nome em homenagem a Prieure d’Aunis, um convento localizado entre Champigny e Aumur, onde tal construção permanece até hoje entre as vinhas da Pineau d’Aunis.