Ruby Cabernet

A uva Ruby Cabernet é uma variedade tinta muito popular desde a década de 1960. Trata-se de um cruzamento entre as uvas Carignan e Cabernet Sauvignon, criada em 1948 pelo Dr. Harold Olmo, em um laboratório na Universidade da Califórnia.


Dr. Olmo foi um viticultor pioneiro e professor da University of California, Davis (UC Davis), onde criou, além da Ruby Cabernet, outras dezenas de variedades de uvas como a Carnelian, a Rubired e a Royalty. Na década de 1950, ajudou a implantar a primeira incubadora da Califórnia para receber videiras importadas, permitindo o desenvolvimento de muitos vinhedos e à expansão da indústria vinícola da região.


Seu objetivo com a criação da Ruby Cabernet era o de elaborar um vinho com um sabor próximo aos vinhos produzidos com a Cabernet Sauvignon, mas com vinhas que se adaptassem melhor em regiões com climas quentes. Ou seja, uma uva com videiras resistentes e rentáveis, bem como vinho com a finesse dos Cabernet.


Os bagos da uva Ruby Cabernet possuem tamanho médio, formato redondo e levemente ovalado, bem como coloração roxo escura e sabor típico da Cabernet Sauvignon. Já os cachos dessa variedade não são muito apertados e possuem tamanho relativamente grande, com formato cônico e longo.


Quando os rendimentos da Ruby Cabernet são controlados rigorosamente, a variedade dá origem a vinhos de excelente qualidade e com coloração escura e densa. Os aromas mais associados a essa casta são os de frutas vermelhas em geral, especialmente, de cerejas.


Apesar de ser utilizada com maior frequência em vinhos de corte, a uva Ruby Cabernet dá origem a bons varietais. Tais vinhos apresentam semelhança com os Cabernet Sauvignon, no entanto, são vinhos menos encorpados, com menores níveis de álcool, mais gentis, mais fáceis de beber, mas que ainda mantém os taninos bem marcados.


Além disso, encontram-se plantações da uva Ruby Cabernet em regiões vinícolas dos Estados Unidos, África do Sul, Austrália, Chile e Argentina.