Lungarotti

Giorgio Lungarotti, com seus antológicos Rubesco Riserva 1971 e 1975 — que sempre foram comparados aos grandes vinhos de Bordeaux — literalmente colocou a Umbria no mapa da enoviticultura mundial, demonstrando que a região pode produzir alguns dos melhores e mais interessantes vinhos da Itália.

Com a morte de Giorgio, as filhas Teresa e Chiara assumiram a propriedade, que passou a ser a primeira grande vinícola da Itália sob o comando exclusivo de mulheres. Segundo o Gambero Rosso, o trabalho impecável desenvolvido pelas irmãs Lungarotti — que apresentaram rótulos “extraordinariamente fascinantes” — “trouxe de volta o encanto sem fim que colocou esta propriedade em Torigiano entre as mais prestigiosas vinícolas não só da Itália, mas de todo o mundo”.

Na edição de 2010 do guia — que concedeu mais um “tre bicchieri” ao “fantástico” Rubesco Riserva Vigna Monticchio — os editores afirmam textualmente: “Lungarotti mudou para sempre os vinhos da região”. Todos os vinhos combinam grande personalidade com um inegável acento regional.

O saboroso Rubesco, elaborado com as castas Sangiovese e Canaiolo, é um vinho perfeito para combinar com massas, sendo especialmente recomendado para lasanha, segundo a associação italiana de sommeliers. O Rubesco Vigna Monticchio, por sua vez, é impressionantemente elegante, lembrando um grande Borgonha para Lettie Teague, editora da revista Food&Wine e correspondente de Robert Parker. Verdadeira instituição da região da Umbria, o vinho tinto quase sempre recebe os máximos “tre bicchieri”, com a estrela de ótima relação qualidade e preço, do Gambero Rosso e os “cinque grappoli” do Duamilavini.

O grandioso San Giorgio, criado em 1977, foi a resposta da Umbria para os recém lançados “supertoscanos”. Este corte de Cabernet Sauvignon, Sangiovese e Canaiolo é potente e elegante — “impressionante”, nas palavras de Robert Parker — e merece os cobiçados “cinque grappoli” do Duamilavini na safra de 2004. Por sua vez, o branco Torre di Giano Il Pino é um impressionante corte de Trebbiano e Grechetto, e foi o primeiro vinho branco italiano, ainda nos anos 70, a ser maturado em barricas de carvalho. A safra de 2007 foi para a final dos “tre bicchieri” do Gambero Rosso, que destacou a impressionante relação qualidade/preço do vinho tanto na versão “Il Pino” quanto Torre di Giano “normal”.

O Aurente é um sofisticado Chardonnay fermentado em pequenas barricas de carvalho. Em sua nova propriedade em Montefalco, Lungarotti vem talhando vinhos de grande tipicidade que têm merecido grandes elogios do Gambero Rosso. Utilizando como base as castas autóctones italianas, os vinhos mostram ótima fruta e muita personalidade, com um estilo perfeito para acompanhar comida e preços inacreditáveis por sua grande qualidade.

22 produtos

Itens por página
Filtro
Ordenar por