Malagousia

A uva Malagousia é uma variedade branca extremamente aromática, cultivada nas regiões vinícolas da Grécia central e, principalmente, na Macedônia. A Malagousia foi resgata da extinção no ano de 1983 pelo enólogo Evangelos Gerovassiliou, após ter cultivado uma videira em Epanomi, na península de Halkidiki.


Essa variedade é conhecida pelas suas ricas e complexas notas cítricas e de pêssego, que também demonstra, muitas vezes, sabores de melão no palato, capazes de agradar a diferentes críticos, especialistas e amantes do mundo do vinho.


A Malagousia é utilizada com maior frequência na elaboração de vinhos de corte ao lado, principalmente, da uva ícone na Grécia, a Assyrtiko, adicionando corpo médio aos exemplares. A uva Assyrtiko é responsável por dar origem a vinhos de diferentes estilos, desde vinhos doces de sobremesa – os tradicionais Vinsanto –, até vinhos brancos frescos e ricos.


Durante a década de 1970, a uva Malagousia foi uma variedade branca conhecida por poucos produtores e enólogos devido a sua “quase” extinção. Atualmente, após um minucioso trabalho, especialmente, de Evangelos Gerovassiliou, a Malagousia é considerada uma uva de classe mundial, produzindo vinhos brancos secos e alguns exemplares doces.


Os vinhos Malagousia apresentam coloração verde clara ou verde limão, além de aromas intensos e altamente expressivos, demonstrando notas frutais e, até mesmo, herbáceas e florais. No paladar, tais vinhos são frescos e cheios, com níveis moderadamente elevados de álcool.


A versões dos vinhos doces são elaboradas a partir da uva Malagousia proveniente de colheitas tardias, que se tornam mais complexas e mais aromáticas. Em geral, tais exemplares são envelhecidos em barris de carvalho, mas, muitos vinhos amadurecidos em aço inoxidável também apresentam elevada qualidade.


Acredita-se que a uva Malagousia é originária da parte oeste da Grécia Central, em Aitoloakarnania, onde é responsável por participar da composição de vinhos doces. Atualmente, ocorreu o surgimento de algumas plantações dessa variedade em Halkidiki, na Macedônia, bem como trata-se de uma casta amplamente cultivada na Grécia.