Kerner

A uva Kerner é uma variedade branca amplamente cultivada em regiões vinícolas da Alemanha, utilizada na elaboração de blends e de excelentes vinhos varietais, com sabores frutados e cítricos, bem como notas de maçã e pera, eventualmente com um toque de nectarina.

A Kerner foi criada em 1929, na região de Wurttemberg, a partir do cruzamento da tradicional uva Riesling e Trollinger, conhecida também como Schiava Grossa. Essa variedade foi nomeada em homenagem ao poeta e compositor alemão do século XIX, Justinus Kerner, famoso por escrever as chamadas drinking songs, músicas cantadas enquanto as pessoas celebram e bebem. Na Alemanha, estas canções folclóricas são conhecidas como Trinklieder.

Apesar do cruzamento ter acontecido entre uvas de pele escura, a Kerner é uma variedade branca, com bagos grandes e verdes, além de compartilhar diversas características em comum com a casta Riesling, tanto na vinha quanto nos vinhos que são feitos com ela.

Assim como os exemplares Riesling, os vinhos elaborados a partir da Kerner (inclusive o infame Liebfraumilch, muito consumido no Brasil na década de 80) apresentam elevados níveis de acidez e excelente capacidade de guarda, envelhecendo muito bem por anos. No entanto, os varietais Kerner não possuem o mesmo sabor e requinte dos Riesling.

A Kerner é muito prestigiada e famosa entre os produtores e enólogos, pois trata-se de uma variedade que não exige muitos cuidados especiais e se adapta com facilidade a diferentes climas e solos. Suas vinhas apresentam sempre alto rendimento e amadurecem de maneira confiável.

Considerada um dos cruzamentos mais bem-sucedidos na Alemanha do século XX, a Kerner é, nos dias de hoje, uma das variedades brancas mais cultivadas no país, em especial nas regiões de Pfaz e Rheinhessen. Além disso, essa casta também é muito querida e cultivada na região italiana do Alto Adige, bem como em áreas vinícolas da Áustria, Suíça, Japão, Inglaterra e Canadá.