Vidal

A Vidal é uma variedade de uva híbrida, amplamente cultivada no Canadá e em regiões vinícolas do nordeste dos Estados Unidos. Junto da Riesling e Cabernet Franc, a uva Vidal tem grande importância por ser uma das variedades utilizadas na elaboração dos prestigiados ‘vinhos de gelo’ (icewines) em Ontário.

Esta é uma variedade que surgiu do cruzamento entre as uvas Ugni Blanc ou Trebbiano e Seibel 4986 (conhecida também como Rayon d’Or). Sua criação acontece a partir do desejo de alavancar a produção de aguardentes nas regiões do leste do Canadá, no entanto, a pele grossa, a forte resistência às baixas temperaturas e os altos índices de acidez da Vidal, contribuíram para que ela se tornasse uma das principais uvas na elaboração dos icewines.

A área ao redor dos Great Lakes – os Grandes Lagos, localizados entre o Canadá e os Estados Unidos - é a mais prolífera para a uva Vidal ser cultivada corretamente. E é nessa região, obviamente, que se encontra a maior área de cultivo da variedade. Além disso, as denominações Finger Lakes, em Nova Iorque, e Niagara Peninsula, em Ontário, são as principais regiões vinícolas para a casta Vidal, visto que se encontram também plantações limitadas em áreas do centro-oeste de Quebec.

Os vinhos elaborados a partir dessa uva não apresentam boa capacidade de guarda, como os vinhos Riesling, ao qual a variedade é constantemente comparada. Contudo, a Vidal pode dar origem a vinhos de mesa secos, mas seu melhor uso é sem dúvida melhor percebido nos tradicionais icewines, considerados exemplares intensos.

Os aromas florais e frutados são características comuns nos vinhos feitos com a uva Vidal. Porém, quando usada na elaboração dos vinhos de gelo, ela nos entrega sabores de caramelo e damasco doce, o que encanta público, críticos, especialistas e amantes do vinho em todo o mundo.

Hoje em dia, os icewines são produzidos de maneira limitada, pois sua elaboração só ocorre a partir de determinadas condições climáticas, em um certo momento e por um curto período de tempo. No processo tradicional, os vinhos de gelo só podem ser elaborados com uvas congeladas naturalmente em suas videiras, onde permanecem congeladas durante dias, até o momento da colheita.

A partir daí as uvas são levadas a adega para a obtenção do mosto e, então, partem para a fermentação em baixas temperaturas, que dura cerca de dois meses. Para que os icewines apresentem a qualidade desejada, a geada deve ocorrer no momento em que as uvas estão completamente maduras. E esse timing perfeito só é alcançado pelos produtores mais experientes e cuidadosos.