Verdelho

A uva Verdelho, originária de Portugal, foi a variedade mais plantada na região da Ilha da Madeira durante o século XIX. No entanto, apesar do amplo cultivo desta casta, que chegou a ocupar cerca de dois terços dos vinhedos da área, a uva Verdelho só foi reconhecida como uma casta nobre no início dos anos 1900.

Fora das regiões portuguesas, é possível encontrar a casta Verdelho em áreas da Europa e em países do Novo Mundo, como na Austrália, Estados Unidos e África do Sul.

Apresentando cachos pequenos e compactos, a uva Verdelho possui bagos miúdos e características como notável acidez, níveis consideráveis de açúcar natural e coloração verde amarelada. Os vinhos brancos elaborados a partir dessa variedade de uva tem bom corpo e boa estrutura, além de excelente sabor e equilíbrio.

A Verdelho está entre as principais uvas que originam os renomados Vinhos Madeira, ao lado das cepas Tinta Negra, Boal, Malvasia e Sercial. Os exemplares denominados como Vinho Madeira são vinhos únicos, extremamente longevos e de altíssima qualidade. Esses vinhos são produzidos a partir de fermentação parcial do mostro das uvas utilizadas na composição da bebida e recebem aguardente vínica, conhecida em Portugal como bagaceira, para que o vinho se torne fortificado. Dessa maneira, os vinhos produzidos na Ilha da Madeira tem cerca de 19 graus Gl de teor alcoólico.

Os vinhos produzidos a partir da casta Verdelho tem estilo bastante similar aos Vinhos do Porto, que também são fortificados pela adição de aguardente vínica e dispõe de ampla variedade de aromas e sabores. Além disso, outro tipo de vinho muito parecido em composição e elegancia aos elaborados com a Verdelho é o Jerez espanhol.

Herbáceos e fortificados, os vinhos secos originados a partir da uva Verdelho são exemplares com feixes de acidez e possuem aromas, geralmente, associados a damascos, pimentas brancas, peras, frutas tropicais e cítricas. Ideais para sobremesas ou para o fim de refeições, os vinhos madeira são versáteis, podendo acompanhar com maestria pratos de carnes vermelhas tão bem quanto podem ser coquetéis e aperitivos, na sua versão seco.

Para que um vinho seja chamado de Vinho Madeira ele precisa se adequar a rigorosos critérios definidos pelo Instituto do Vinho do Bordado e do Artesanato de Madeira, IVBAM, além de receber o selo de indicação de procedência, de maneira que sua qualidade seja assegurada.