Jumilla

Jumilla é uma região espanhola que tem despontado nos últimos anos, produzindo alguns vinhos saborosos e frutados. Localizada no sudeste da Espanha, a área é uma das denominações mais antigas do país, tendo sido estabelecida em 1966.

O clima continental da região é suavizado pela proximidade com o mar Mediterrâneo, mas permanece marcado pelo caráter árido e pela baixa pluviosidade, com chuvas extremamente irregulares e longos períodos de seca. As precipitações ocorrem, principalmente, na primavera e outono, com um índice de apenas 300 mm por ano.

A região espanhola de Jumilla é formada por amplos vales e planícies, com altitudes variantes entre 400 e 800 m acima do nível do mar. Atualmente, a área vinícola abrange cerca de 32.000 hectares, dos quais 45% localizam-se na província de Murcia, e o restante em Albacete.

Os solos de Jumilla contêm calcário pardo e calcário com crosta de cal, ou seja, possuem uma grande capacidade hídrica e mediana de permeabilidade, possibilitando o cultivo das vinhas até mesmo em épocas de seca prolongada.

Os vinhos com a denominação Jumilla podem ser produzidos a partir das uvas permitidas pelo órgão regulador, como Tempranillo, Cabernet Sauvignon, Merlot, Syrah, Pedro Ximénez e Malvasia. No entanto, a casta de maior destaque e prestigio é a Monastrell, devido à alta capacidade de adaptação ao clima continental e aos solos da região.

Os exemplares tintos, principalmente os jovens, são marcados pela forte expressão aromática, taninos vivos e coloração escura e intensa, variando desde o vermelho púrpura até tons de roxo. Jumilla produz ainda vinhos licorosos, rosés, brancos e doces, no entanto, os que recebem maior destaque na região são os tradicionais doces e os vinhos de licor.

Em conjunto, os vinhos de denominação de origem Jumilla são exemplares que alcançaram um alto nível dentro do cenário vinícola da Espanha, sendo vinhos bastante premiados em concursos, tanto nacionais quanto internacionais.